domingo, 17 de maio de 2009

Anônimo.

Cadê você? Amontoado de palavras em uma tela. Tecnologia do destino. Cadê você? Eu bem queria conhecer o seu castelo. Abre a porta, deixe que eu entre, prometo não fazer dele uma bagunça. Não vá embora assim, fica mais um pouco. Não me deixe aqui, não me faça mais só. A gente pode sentar frente à frente, e ficar se olhando até que o dia amanheça. A gente pode ficar aí, fazendo companhia uma à outra, a gente pode ficar aí o tempo que quiser, sem saber juntas o que queremos separadas.

2 comentários:

Anônimo disse...

(pausa, silêncio, suspiro...)

marian a disse...

eu já não seria mais anônima.